quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

DEMISSÃO EM MASSA: Malwee fecha unidade em Blumenau e demite todos os funcionários. Mais de 300 demissões nesta manhã de quinta-feira na fábrica de Blumenau que fica na divisa com Gaspar no Bela Vista. Veja o que diz o sindicato Sintrafite:

DEMISSÃO EM MASSA:
Malwee fecha unidade em Blumenau e demite todos os funcionários. 
Mais de 300 demissões nesta manhã de quinta-feira na fábrica de Blumenau que fica na divisa com Gaspar no Bela Vista. Veja o que diz o sindicato Sintrafite:

Mais de 300 demissões na unidade em Blumenau, atingindo especialmente as áreas de costureiras. 
A empresa confirmou a demissão em massa de trabalhadores. Os representantes da empresa - que somente no fechamento da empresa entraram em contato com o sindicato, definiram pelo encerramento das atividades, sem ao menos tentar uma alternativa para os trabalhadores.

Estão confirmadas as demissões de TODOS os trabalhadores da unidade Blumenau, são 300 trabalhadores entre mecânicos, encarregados e principalmente costureiras, cerca de 90% dos demitidos.

Em nenhum momento foram repassadas informações ao sindicato que haveria baixas. A Malwee desrespeitou os trabalhadores, e se achou no direito de passar por cima deles. Foi uma surpresa para todos os trabalhadores que voltavam das férias coletivas de 30 dias hoje. 

Recebemos inúmeras ligações de trabalhadores desesperados com a situação. Os empregados chegaram para iniciar a jornada, às 05h, e se depararam com apenas alguns maquinários no lugar, nenhuma matéria prima, tudo foi transferido para a matriz em Jaraguá na “calada da noite”.

O Sindicato entrou em ação, a desculpa repassada pela empresa é a instabilidade econômica, afirmando que passarão por uma reestruturação. Mesmo nesse ponto, nada justifica a demissão em massa, foram 300 trabalhadores que não tiveram opção de uma negociação, apenas um comunicado, nenhum aviso prévio conforme estabelecido em nossa Convenção Coletiva, agora serão famílias inteiras afetadas.

A Malwee informou que indenizará todos os trabalhadores, inclusive aqueles com estabilidade de emprego como integrantes da CIPA e gestantes. O Sindicato estará acompanhando de perto e tomando todas as medidas cabíveis.

Os representantes da Malwee são os responsáveis pela crise na empresa, não é culpa dos trabalhadores. Faltou responsabilidade e alternativas que sustentassem as argumentações para as demissões; apenas reiteraram que os motivos se devem à necessidade de cessar algumas atividades, a partir da mudança na estrutura de negócios.

ATENÇÃO, trabalhador: REUNIÃO COM OS TRABALHADORES, TERÇA-FEIRA, DIA 26, NO SINTRAFITE, ÀS 14H.

Fique atento aos comunicados do sindicato. Para tirar dúvidas podem ser feitos pelo e-mail: faleconosco@sintrafite.com.br ou pelos telefones: 3326-1555

8 comentários:

Diego Nasato disse...

Vergonha Do posicionamento do sindicato em dizer que a culpa é da empresa. A crise tá pesada e não dá pra dizer que isso é pura vontade de demitir. Foi necessário.

Luis Pereira disse...

Foi realmente uma pena mais o sindicato e os responsáveis pelo bem estar de uma empresa em Blumenau deveriam ter feito algo antes, depois de fechada com certeza não tem mais jeito, fui têxtil a 35 anos e na ultima grande greve a maior de todas tivemos que iniciar nossas atividades recebendo menos que as empresas haviam oferecido na época o Presidente nem coragem de voltar para nós dizer isso teve, todo têxtil da época se lembra disso.. sindicato têxtil sempre foi fraco..
A Malwee sempre foi uma excelente empresa e com certeza continuará sendo mais não aqui em Blumenau.. Eles irão pagar todos os direitos dos funcionários e isso é que importa.. Mais uma vez faltou apoio tanto do sindicato como dos órgãos governamentais.. Parabéns a Malwee vocês foram uma excelente empresa o tempo que estiveram em nossa cidade...

Thiago Thiago disse...

A empresa concerteza manteria os empregos se houvesse condições...a culpa é desse desgoverno irresponsável e corrupto que a maioria leiga elegeu em troca de migalhas. Um governo que mente e faz de tudo para se manter no poder! E vem mais por aí...2016 e o Brasil já ta com lama até o pescoço.

Thiago Thiago disse...

A empresa concerteza manteria os empregos se houvesse condições...a culpa é desse desgoverno irresponsável e corrupto que a maioria leiga elegeu em troca de migalhas. Um governo que mente e faz de tudo para se manter no poder! E vem mais por aí...2016 e o Brasil já ta com lama até o pescoço.

dAN ROPPE disse...

A empresa deve estar passando o que todas as outras estão passando , sufocadas pelo um governo corrupto , empresas com mais de 35 anos em blumenau timbo jaragua do sul com uma linda historia tendo que fechar as portas . Empresas grandes tendo que pegar grandes emprestimos só para pagar a folha salarial , imagina as dividas impostos inss planos de saude vale transporte nosso pais esta um lamaçal de sujeira e corrupção .
E ainda empresas como a mallwe e outras tantas conhecidas ´por tratarem bem seus funcionarios agora ainda nesse momento tão dificíl culpa-la seria uma ofensa a nós mesmo que somos a indentidade da empresa , e vira muito mais ainda só aqui em nossa cidade está para fecharem as portas mais de 30 empresas media forte no mercado empressarial ..TENHO DITO !!

Anônimo disse...

A Malwee mandou um abraço. KKK

familia buscape disse...

A crise vem há mais de 1 ano e agora o sindicato fica "surpreso" com a decisão? Poderia ter feito algo enquanto havia tempo mas sindicato não defende empregado. A decisão de uma empresa demitir é uma situação de extrema necessidade.

Anderson disse...

Realmente, dá para ver o nível dos sindicalistas, a Malwee sempre foi uma empresa boa, sempre apoiou as causas da cidade como a reforma do nosso teatro Carlos Gomes, então julgar e denegrir a imagem da empresa dessa forma no mínimo é incoerente.
Sobre as demissões, é difícil julgar, mas gostaria de saber o que eles (sindicalistas) fariam se estivessem no lugar dos diretores da empresa na hora de fazer a folha de pagamento das centenas de funcionários e ver cada vez mais a dificuldade para cumprir com ela, ver mês passar e recorrer a empréstimos, fazer aportes com suas economias, falar é fácil, reclama e cobra agora o teu governo meu caro "sindicalista".

Abraços